Seminários de Doutoramento I e IV

Sessão I | 13 de Outubro de 2016

  • 15h-15.15h – Prof. Fernanda Palma –Apresentação do PD-FCTAS
  • 30-15.45h – Apresentação do seminário doutoral – Profs. Olga Pombo e José Luis Garcia
  • 45h-17h – Apresentação dos projectos de doutoramento pelos estudantes do 3 ano (20m + 10m discussão cada) – Vinicius Aguiar, Naid Mubalegh
  • 17h – 17.15h – intervalo
  • 17.30h-19h – Apresentação dos projectos de doutoramento pelos estudantes (20m + 10m discussão cada) – Miguel Montenegro, João Cão Duarte, Ana Paula Suarez

 

________________________________________________________

Sessão II | 20 de Outubro de 2016

  • 15h-16.00h- apresentação do Prof. Nuno Nabais – Sobre o conceito de Filosofia da Ciência
  • 16h – 18h (com um intervalo a marcar na própria sessão) – apresentação dos projectos de doutoramento pelos estudantes do 2º e 3º anos (10 minutos cada) – Helena Abreu (faltou), Maria João Faustino (faltou, esta em estágio no estrangeiro), Filipe Pamplona (faltou), Paulo Roberto, Mário Donas, José Toscano, Ana Pato, Andrea Mazzola, José Marmeleira, Marco Pina, Pedro Caldas.
  • 18h-19h – Recolha de pareceres sobre o trabalho a desenvolver no seminário doutoral do presente ano lectivo

 

___________________________________________________________

Sessão III | 27 de Outubro de 2016

  • 15h – 15.30h – apresentação do trabalho final do Seminário doutoral III por uma estudante do 1º ano do ano lectivo anterior (textos propostos pelos alunos e enviados para todos com uma semana de antecedência)
  • Jane Rodrigues Guimarães  apresentação e comentário de um texto da Metafisica de Aristóteles (conclusões do livro VII e livro VIII, da página 361 até a página 391 da edição bilingue indicada pela doutoranda – ver texto em anexo).
    Debatedor –  Ana Paula Soares
  • 30h – 16h – decisão sobre os temas, textos ou autores a que serão dedicados alguns dos seminários do 1º semestre (escolhidos em função da sua capacidade de cruzamento entre e irradiação para os temas dos projectos de doutoramento em curso)
  • 16h – 16.30h – intervalo
  • 16.30h-19h – apresentação do Prof. Nuno Nabais – “Ciencia e Teatro. A partir da Poética de Aristóteles

___________________________________________________________

Sessão IV | 3 de Novembro de 2016

15.30h – 17.30h – apresentação dos trabalhos finais do Seminário doutoral por estudantes do 2º ano do ano lectivo anterior (apresentações de temas, relatórios ou estudos monográficos originais e da autoria dos doutorandos)

  • Ana Saldanha – título e abstract (em anexo)
  • Tiago Carvalho – “Estudo monográfico sobre Ética Alimentar” (enquadramento num breve relatório da estadia em Kiel do doutorando) (abstract a enviar)

17.30h – 18h – intervalo

18.00 – 19h – apresentação do trabalho final do Seminário doutoral III por uma estudante do 1º ano do ano lectivo anterior (textos propostos pelos alunos e que são enviados para todos com uma semana de antecedência)

  • Ana Gaspar – “Do pensamento à rêverie. Teoria psicanalítica de W.R. Bion

________________________________________________

Sessão V | 10 de Novembro de 2016

  • 15h – 17.30h – apresentação da Prof. Olga Pombo – “A filosofia e o problema do conhecimento no Teeteto de Platão
  • 17.30h – 18h – intervalo
  • 18h – 19h – decisão final sobre os textos dos futuros seminários

________________________________________________

Sessão VI | 17 de Novembro de 2016

Seminário dedicado ao estudo de textos sugeridos pelos estudantes. No caso, o texto de B. van Fraassen intitulado “A Window on the Invisible World“, que corresponde ao IV capitulo do livro  Scientific Representation, Oxford University Press, 2008

________________________________________________

Sessão VII | 24 de Novembro de 2016

Seminário dedicado ao estudo de textos sugeridos pelos estudantes. No caso, o texto de B. van Fraassen intitulado “From the Bild Theory of Science to Paradox “, que corresponde ao VIII capitulo do livro  Scientific Representation, Oxford University Press, 2008

________________________________________________

 | 1 de Dezembro de 2016

Feriado

________________________________________________

| 8 de Dezembro de 2016

Feriado

________________________________________________

Sessão VIII | 15 de Dezembro de 2016

Third Lisbon International Conference on Philosophy of Science: Contemporary Issues, Conferência internacional, organizada pelo CFCUL,  Forum Lisboa, 14-16 de Dezembro 2016  [+info]  [programa] [keynote speakers]

________________________________________________

Sessão IX |  8 de Fevereiro de 2017

O Labirinto pelo Prof. José Félix Costa (IST-UL)

Resumo:

Neste seminário confronta-se o devaneio do labirinto, tal como descrito por Bachelard, com a solução científica do passeio labiríntico dada no século XIX, solução que foi, no entanto, ignorada pela obra literária dos séculos XIX, XX e pela já produzida no século XXI.
Presente na literatura desde a Antiguidade, o conceito de labirinto preocupou filósofos, teólogos e matemáticos ao longo de 2500 anos. Do labirinto multicursal de Dédalo (da Eneida de Virgílio e das Metamorfoses de Ovídio, possivelmente da Ilíade de Homero e da Teogonia de Hesíodo) ao labirinto unicursal da Catedral de Chartres, da Divina Comédia de Dante e do Auto da Alma de Gil Vicente, do labirinto multicursal da Queste del Saint Graal de  Albert Pauphilet (século XIII) ao labirinto de La biblioteca de Babel de Jorge Luis Borges e labirinto da consciência de Inception de Christopher Nolan, estabeleceram-se processos de crescimento individual que se desenrolam (que se desdobram) enquanto se caminha pelos meandros dos diversos labirintos enfrentando-se o si-mesmo – o verdadeiro Minotauro de Cnossos. (Teseu terá vencido a batalha no plano material, mas não a verdadeira batalha no plano psíquico.) Outro exemplos paradigmáticos de labirintos podem encontrar-se na literatura, inter alia nos romances The Woman in White de Wilkie Collins, Jane Eyre de Charlotte Brontë, Moby Dick de Herman Melville, Il Nome Della Rosa de Humberto Eco. Diz Bachelard que o labirinto é não mais que «Um sofrimento primário, um sofrimento da infância. Será um traumatismo de nascimento? Será, ao contrário, como acreditamos, um dos traços mais nítidos de um arcaísmo psíquico?»
Porém, damo-nos conta de que o labirinto que nos é familiar tem solução matemática simples, ignorada pelos autores. Mais, tem solução numa linguagem nova na Matemática do século XVIII, inesperadamente introduzida ad hoc por Leonhard Euler. Como é que um problema que tem solução matemática simples continua, na forma de problema insolúvel, a decorar o mundo da arte, da literatura e do cinema? É que atravessar o labirinto tornou-se uma metáfora de processos mentais e de aprendizagem dialética já descrita no Euthydemus de Platão, mas que não tem linguagem adequada na ciência contemporânea. A contradição é realçada por Bachelard quando diz que «… caminhar no bosque escuro ou na gruta tenebrosa, perder-se, estar perdido são situações típicasO Labirinto por José Félix Costa
___________________________________

Sessão X |  9 de Fevereiro de 2017

Seminario dedicado ao estudo de textos sugeridos pelos estudantes. No caso, “Fenomenologia da Criatividade Matemática“, capitulo do livro “Filosofia Sintética das Matemáticas Contemporâneas” de Fernando Zalamea.  Apresentação geral do livro e do capítulo em discussão pelo doutorando Vinicius Jonas seguida de debate.

Sessão XI |  10 de Fevereiro de 2017

  • 15h – 16.45h – Apresentação por Jean Yves Mercury com o titulo “Merleau-Ponty:  une philosophie de l’existence ou une sortie du dualisme âme/corps
  • 16.45 – 17.15h – 19h – Intervalo
  • 17.15h – 19h – Debate

________________________________

2º SEMESTRE

Sessão I |   16 de Fevereiro de 2017

  • 15h – 16.45h – apresentação do Prof. Antonio Bracinha Vieira, “Os grandes sindromos psicopatológicos e as estruturas básicas.”
  • 16.45-17.15h – 19h – intervalo
  • 17.15h- 19h – apresentação do Prof. José Luis Pio de Abreu, “O que é a Psicopatologia e por que é que precisamos dela” 

Sessão II |   23 de Fevereiro de 2017 – debate sobre de Hannah Arendt com base no livro “The Human Condition” (1958) (há tradução portuguesa de Roberto Raposo na editora Relógio d’Agua, 2001)

Sessão III |   2 de Março de 2017 – “Behind (and beyond) diagrammatic representations” por Daniele Molinini,
ABSTRACT: Diagrams are widely used in science. And their study is not constrained to philosophy of science but has ramifications in different areas as for instance cognitive science, psychology, mathematics education, logic and history of science. Although the topic has many interdisciplinary aspects, the main philosophical question concerns the function that diagrammatic representations may have in science. There is a general consensus among philosophers that reasoning visually on diagrams is a valuable heuristic tool. Nevertheless, the question whether diagrammatic reasoning can have an epistemological import has remained largely unexplored. In this talk I shall approach this question and show how sometimes the function of diagrammatic representations can extend to that of `going beyond’ the representation itself. To illustrate my point, I will present a very simple case of a physical phenomenon studied through the resources of Euclidean geometry and Euclidean diagrams.

[Daniele Molinini is currently a FCT Researcher at the CFCUL where he develops a research project untitled “Disclosing the Role of Visual Reasoning and Mathematical Diagrams in Scientific Explanation”. He graduated in Physics at the University of Bologna in 2005, with a thesis in bioinformatics and computational biology. After, he got a research fellow at the Department of Genetics, University of Ancona. He  got a master in Logic Philosophy History and Sociology of Sciences (LOPHISS)  at the University of Paris 7 and a PhD in Epistemology, History and Philosophy of Science from the same university. His dissertation “Toward a Pluralist Approach to Mathematical Explanation of Physical Phenomena”, supervised by Prof. M. Panza, has been awarded with the highest distinction for a PhD thesis in France. In November 2012 he got fellowship Fernand Braudel-IFER Outgoing from the FMSH (Paris) and the European Union (Action Marie Curie 7th PCRD). He is currently interested in Philosophy of Mathematics, Philosophy of Science, Physics, Metaphysics and Mathematics ]

Sessão IV |   9  de Março de 2017 – “A teoria do pensamento cego de Leibniz”  por Olga Pombo

 

Sessão V |   16  de Março de 2017

  • Joao Cao – apresentação do texto de Polanyi “The foundations of academic freedom”
  • Debate​ 

Sessão VI |   23  de Março de 2017 – Workshop on “Exemplary Interdisciplinary Cases”, FCUL, sala  6.2.50 [programa]

  • 15:00-15:30    Olga Pombo (CFCUL) – Introduction
  • 15:30-16:00    Jorge Louça (ISCTE-IUL) – The interdisciplinary nature of complex        systems studies and the case of public opinion analysis
  • 16:00-16:30    José Lima Sousa (Colégio 3E) – Colaboração interdisciplinar  no estudo dos serviços dos ecossistemas
  • 16:30-17:00    coffee break
  • 17:00-17:30    Alexander Gerner (CFCUL) – Avatar Virtual Reality Therapies:   Interdisciplinary Issues of a Philosophy of Human Technology
  • 17:30-18:00    Félix Costa (IST,CFCUL) – Controvérsia Interdisciplinar na Génese da Computação Digital
  • 18.00-19.00 – Debate 

Sessão VII |   30  de Março de 2017 – “O quadro epistemológico das Ciências Sociaisno seculo XX”, por José Luis Garcia

Sessão VIII |   6  de Abril de 2017 – “A philosophical and socio-empirical critique of autonomy in the clinical setting, por Flavio D’Abramo

[ Flavio D’Abramo – Marie Curie fellow at Freie Universität Berlin, he has studied philosophy and history of science in Rome, London and Paris, focusing on epistemological, historical and sociological aspects of epigenetics. In the last years he has integrated methodologies from ethnology and social sciences to ground his research within situated contexts. He is working on a project on autonomy of individuals in  healthcare setting, and developing a project for a comparative, multi-national study around different uses of epigenetics].

13  de Abril de 2017 – Férias da Pascoa

Sessão IX | 20  de Abril de 2017 –  Seminário dedicado ao estudo de textos sugeridos pelos estudantes. No caso,umaseleção de textos sobre Criação e criatividade, proposta por Fernando Rua

Sessão X | 27  de Abril de 2017 –  ​”As redes: do saintsimonismo à Internet”​, por Jose Luis Garcia

Sessão XI | 4  de Maio de 2017 –  Em que medida as dimensões políticas do chamado “pensamento 68” marcaram a epistemologia do final do sec.XX?, por Nuno Nabais

Sessão XII | 11  de Maio de 2017

15:00-16:30    – Epistemologia e metodologia da visualidade, por Fernando R. Contreras Medina, Universidade de Sevilha
16:30-17:00   – intervalo
17:00-19:00   – “Mind and Brain: causality or interdependence?”, por Marzia Michelizza

Fernando R. Contreras Medina
RESUMEN: Este seminario trata sobre el primer problema que surge al estudiar las imágenes. Debemos saber identificar las principales teorías sobre las que se sustentan los estudios visuales. Frente a la imposibilidad de enumerar todas las teorías, al modo de un discurso histórico, persisten algunas ideas o grupos de ideas que articulan el discurso sobre las imágenes. En este seminario, mostraremos la influencia de la historia del arte, de la teoría del arte y de la estética sobre la concepción contemporánea de visualidad, cultura visual, objeto visual o el esencialismo visual. Durante el seminario revisaremos los actores de las principales influencias teóricas en el análisis visual y sus aportaciones a la consolidación de las más actuales metodologías en este campo de los estudios culturales.

[Fernando R. Contreras es Profesor Titular de Cibercultura en el Departamento de Periodismo 1 de la Universidad de Sevilla. Es doctor en Filosofía, doctor en Ciencias de la Información y Licenciado en Bellas Artes (Diseño y Grabado). Director de arte publicitario durante diez años en empresas nacionales e internacionales. Director del Grupo de Investigación en Tecnología, Arte y Comunicación del Programa Andaluz de Investigación PAIDI (HUM868). Profesor del Máster Internacional de Communication & Hypermedia en la Université de Savoie – Los Alpes (Francia).

Autor de diversas obras entre as quais Re(D)Unidos. Anthropos. 2009:Sociedad Interconectada, Cultura Desconectada. Ed. 1. Biblioteca Nueva; Información, Innovación y Sociedad Global. Ed. 1. Visionnet /Sirandaeditorial. 2006; Las Redes de Mujeres. Área de Gobierno de Empleo y Servicios a la Ciudadanía. 2005; Comunicación, Cultura y Migración. Granada. Consejería de Gobernación. Junta de Andalucía. 2003; Nuevas Fronteras de la Infografía. Análisis de la Imagen Por Ordenador. Ed. 2000. Mergablum Edición y Comunicación. 2000]. Actualmente investiga  en un proyecto de excelencia sobre la estética del ciberactivismo en la red. Líneas de investigación: Estudios Visuales, Estudios Culturales, Arte y Tecnología (Media Art), Humanismo Digital].

Marzia Michelizza
ABSTRACT:
The seminar addresses the mind-brain relation and explores if this relation can be a causal relation and how the relation can be detected. Starting to look briefly at different approaches to causal notions (productive, dependence and actionist approaches), we follow to investigate the methods to detect the relation between mental and cerebral phenomena. In particular, we see the subtractive methods applied in neuroimaging in order to localize cognitive function, its experimental context and its epistemological problems. Afterwards, we look at neurofeedback technique in order to point out different points of views about mind-brain relation and the importance to take into account the subjective experience. Finally, we underlie what kind of causality, if any, or relational notion can be able to describe mental-brain relation.

Marzia Michelizza – Phd in Philosophy (Paris 1 Pantheon-Sorbonne) and Complexity Sciences (University of Urbino, Italy)

Sessão XIII | 18  de Maio de 2017

Ditadura, grandes estruturas tecnológicas e colonização da Amazônia na construção da Transamazônica”, por César Augusto Martins de Souza, professor na Universidade Federal do Pará e investigador visitante no ICS-ULisboa

Resumo: “O general-presidente Emílio Médici anunciou, em 1970, que construiria uma rodovia, a Transamazônica, para integrar a Amazônia ao restante do país e ocupá-la com os sertanejos nordestinos flagelados pela seca. A análise de entrevistas, documentos oficiais, obras memorialistas e da imprensa de circulação nacional, evidenciam que esta rodovia é parte de um projeto autoritário de ocupação e exploração da Amazônia, que considera esta região um vazio demográfico. A Transamazônica é o eixo para a implementação de uma agenda de grandes projetos na região, como pontes, ferrovias, exploração mineral, agropecuária e hidrelétricas, intensificados sobretudo no século XXI.”

Sessão XIV | 25  de Maio de 2017

Sessão XV e XV | 1  e  2 de Junho de 2017 –  IASC 2017 International Conference: Crossing Borderlines: Controversies and Interdisciplinarity”, 1 e 2 de Junho de 2017, 9h-19h,  FCUL | Anfiteatro da Fundação da FCUL

Jornadas de Doutoramento
PD-FCTAS

7 e 8 de Junho de 2017

(sala e programa a anunciar)